28 de dez de 2011

Será que passa?

Entre tantas coisas que me rodeiam, tanta coisa pra resolver, tanto em que pensar e lembro de você o tempo todo...
Talvez esteja numa daquelas dolorosas fases de carência em que a gente fica sonhando com a boca mais gostosa que beijou nos últimos tempos, ou sentindo, literalmente o sabor da língua, o calor do abraço, a voz...
Nossa... Quase uma assombração!
Dia desses meu chefe, numa conversa dessas bem sinceras, que ninguém merece, me disse o seguinte: "Bom Felícia, ano que vem, vida nova, vamos ver se a gente arruma um cara rico pra bancar você e melhorar essa situação!"
Assim, sem mais rodeios.
"Com quantos anos você está mesmo?" - me perguntou
Respondi e ele retrucou:
"Pois é, está na hora de você admitir sua incompetência no que diz respeito ao campo afetivo"
Ah vá!!!!!
Quer dizer que tudo se resume a isso?
À minha incompetência em conquistar alguém?
Será que vou mesmo ter que admitir que se eu não fosse "incompetente" você se ligaria em mim?
Não sei. Melhor ficar com resposta que diz que cheguei atrasada na sua vida, talvez tenha me atrasado uns quinze anos, mas e a história do "antes tarde do que nunca"? não serve aqui?
Eu só sei meu amigo, que faz um tempo que almoço e janto você, que durmo e acordo com você, que passo o dia com você.
De tudo isso, percebi o seguinte. Mudei e mudei muito.
Você nem imagina o quanto.
Hoje, fico na minha, deixo a coisa pra lá, deixo você ficar só na minha imaginação mesmo, mas já fui muito mais anciosa, passional ao extremo.
Sofria com todos os sintomas que uma paixão não correspondida causa.
Ficava sem comer, sem dormir, sem falar, me tornava apática a tudo e a todos.
Me deixava consumir...
Hoje, vou seguindo com as minhas fantasias , todas envolvendo você, sua voz, seu corpo, sua boca, seu cheiro....
As mais loucas possíveis, as mais deliciosas, as mais impossíveis...
Impossíveis porque precisaria que você as compartilhasse e não é o que pega mais.
Vou ficando na minha, deixando a vida seguir seu curso e me encantando com o que vem pela frente, porque o que ficou pra trás, de tudo, tudo o que já passei, pouca coisa vale a pena guardar...Você eu ainda tenho comigo, mas não sei até quando...
Talvez até aparecer algo que me faça não pensar nos seus beijos...
Alguma coisa que não me faça ficar assim, molhada, quando me lembrar do gosto que é ter você em mim....
Até lá "meu camarada" tenho que admitir: Hoje, você é  importante pra mim!!! Mais do que eu sei dizer, mais do que eu possa contar, mais do que eu gostaria que fosse, mas é, e pronto...
Não existe essa coisa de "pouco tempo"...
Se eu pudesse, até diria, eu te amo...
Mas fico com a paixão e com tudo que ela causa.
Fico com a vontade, com a saudade e com a distância...
Fico com você, até que passe, e pode crer, passa...
Passa não passa?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

e pelo zunido das suas asas você me falou...